English VersionClick here to read the English version

Pilotis 01

 

Se você já se deparou com essa palavra: PILOTIS, e não fez a menor ideia do que se tratava, esse post veio para esclarecer para os leigos por quê tanto se fala em Brasília sobre pilotis?

 

Pilotis 02

 

Nada mais, nada menos que PILARES ou COLUNAS! São formas estruturais que normalmente se encontram escondidas entre as paredes de qualquer construção! Mais especificamente o termo “coluna” se refere a pilares de base circular, assim, formando volumetricamente um cilindro. E pilares são todas as formas estruturais que recebem cargas de um edifício no sentido vertical!

 

Villa Savoye, do arquiteto Le Corbusier, construído em 1928

Villa Savoye, do arquiteto Le Corbusier, construído em 1928

 

A primeira edificação que se tem registro de utilizar o pavimento térreo livre, apenas com pilares a mostra, foi a casa do arquiteto Le Corbusier, a famosa Villa Sovoye. Construída em 1928, a intenção do arquiteto era trazer leveza e modernidade, soltando a uma casa do chão. A edificação parecia flutuar sobre o que foi chamado de pilotis (a palavra francesa que logo foi traduzida como ‘piloti’): um pavimento livre de paredes e ideal para circulação dos pedestres, que por sua vez seriam protegidos das intempéries.

 

Pilotis 04

 

Por Brasília ter sido planejada em um período de movimentos modernos, tornou-se um berço para obras de arte de todos os gêneros, incluindo colunas de concreto. Um do conceitos na concepção da cidade era de permitir que os pedestres caminhassem sem barreiras para onde quer que fossem. Desse modo diversos modelos de pilares e pilotis foram desenvolvidos e podem ser observados ainda hoje por toda a Asa Norte e Asa Sul.

Alguns mais que outros se tornaram tão poéticos que podemos admirá-los nessa imagem esquemática com suas respectivas quadras residenciais logo abaixo.

 

Pilotis 05

 

De agora em diante, duvido que ande por essa linda cidade sem admirar nossos belos pilotis!

 


Uma resposta para “Pilotis – O que é?”

  1. […] Clique aqui para ler o texto em Português […]

Deixe seu comentário